Pular para o conteúdo
Voltar

MT Produtivo Leite entregará 15 mil doses de sêmen bovino à Agricultura Familiar

A estratégia é estimular a substituição gradativa dos animais, em sua maioria, de baixo potencial genético e pouca produtividade, por matrizes de alta performance produtiva
Naiara Martins | SEAF-MT

Com a mudança no cenário das propriedades rurais é possível estimar o aumento da produtividade por animal, saindo dos atuais 3,77 litros dia, para algo em torno de 10 litros - Foto por: Lucas Diego - SEAF/MT
Com a mudança no cenário das propriedades rurais é possível estimar o aumento da produtividade por animal, saindo dos atuais 3,77 litros dia, para algo em torno de 10 litros
A | A

O Programa MT Produtivo Leite, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (SEAF) distribuiu na primeira etapa 7,5 mil doses de sêmen bovino com a meta de promover o melhoramento genético do rebanho leiteiro. A inseminação artificial é uma das tecnologias definidas pelo Governo do Estado para mudar os rumos da produção de leite em Mato Grosso.

A estratégia é estimular a substituição gradativa dos animais, em sua maioria, de baixo potencial genético e pouca produtividade, por matrizes de alta performance produtiva.

Para o fomento à inseminação artificial foram investidos pela SEAF R$ 736.340,00 na aquisição de 15 mil doses de sêmen, entre sexado e convencional, das raças Gir Leiteiro, Jersey, Girolando ¾, Girolando 5/8 e Holândes. O diferencial do programa é garantir que os produtores tenham acesso a animais geneticamente superiores, e assegurar que as matrizes se tornem a base para a formação de novos rebanhos com maior potencial produtivo.

Nesta etapa foram contemplados 22 municípios, sendo eles, Novo Horizonte do Norte, Nova Mutum, Alta Floresta, Itanhangá, Nova Monte Verde, Canarana, Aripuanã, Porto Estrela, Novo Santo Antônio, Porto Alegre do Norte, Novo São Joaquim, Vila Bela da Santíssima Trindade, Alto Araguaia, Campo Novo do Parecis, Querência, Bom Jesus do Araguaia, Vera, Carlinda, Juína, Brasnorte, Canabrava do Norte e Sinop.

Com a mudança no cenário das propriedades rurais, trazido pela melhoria na qualidade genética e acompanhamento da assistência técnica é possível estimar o aumento da produtividade por animal, saindo dos atuais 3,77 litros dia, para algo em torno de 10 litros.

As prefeituras interessadas em participar da segunda etapa do programa de distribuição de sêmen, prevista para 2021, deverão encaminhar à SEAF o projeto técnico de melhoramento genético com a relação dos produtores da agricultura familiar a serem beneficiados. As prefeituras também terão que comprovar capacidade técnica para a execução do projeto.

Outra modalidade que também promete revolucionar a produção leiteira em Mato Grosso é o projeto de melhoramento genético por meio da transferência de embriões. Nesta modalidade serão investidos pelo MT Produtivo Leite R$ 1.381.000,00 na aquisição de duas mil prenhezes, obtidas a partir da transferência de embriões para as matrizes receptoras. Paras as transferências serão utilizados embriões produzidos com sêmen sexado de fêmea, da raça Girolando Meio Sangue (CCG 1/2 – Cruzamento com Controle de Genealogia). As matrizes, também chamadas de “barriga de aluguel”, são selecionadas entre o plantel do próprio produtor.

Todas as raças definidas pelo Programa MT Produtivo Leite são reconhecidas pela alta produtividade, precocidade, longevidade e fertilidade, além da alta capacidade de adaptação a diferentes tipos de manejo. Com o melhoramento genético é possível controlar especificidades das caraterísticas produtivas dos animais, como a estimativa de produção média por animal, a longevidade das vacas, o incremento no teor de sólidos no leite, a redução na incidência de doenças, a diminuição de partos difíceis, entre outros benefícios trazidos que influenciam diretamente na eficiência produtiva do rebanho, e na redução de custos para o produtor.

O programa também envolve uma série de serviços e produtos que têm o objetivo de otimizar o trabalho já desenvolvido dentro das propriedades, como a oferta continuada de assistência técnica, a distribuição de 200 resfriadores de 1.000 litros, a contratação de 30 mil toneladas de calcário para correção das pastagens e a implantação das Unidades de Referência Tecnológica (URTs) que terão o papel de vitrine para a demonstração das boas práticas nas propriedades.  

O programa tem o acompanhamento técnico da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), que atua na orientação sobre o manejo sanitário, nutricional e zootécnico do rebanho, seleção das matrizes, entre outras ações desenvolvidas na propriedade.