Pular para o conteúdo
Voltar

Seaf realiza roda de conversa sobre masculinidades

O encontro foi mediado pelo fisioterapeuta osteopata, Alberto Yassuo Yoshiara, da Secretaria de Estado de Saúde (SES).
Luciana Cury | Seaf-MT

A proposta foi socializar saberes e implementar a troca de experiências, além de abrir oportunidade para trazer o assunto à tona ao público masculino da pasta. - Foto por: Luciana Cury/Assessoria
A proposta foi socializar saberes e implementar a troca de experiências, além de abrir oportunidade para trazer o assunto à tona ao público masculino da pasta.
A | A

A Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), realizou nesta manhã de segunda-feira (29.11), uma roda de conversa com servidores da pasta para discutir sobre masculidades, por ocasião dos eventos alusivos ao novembro azul.

 

O encontro contou com a participação de homens e mulheres interessadas no tema, e foi mediado pelo fisioterapeuta osteopata, Alberto Yassuo Yoshiara, da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

 

A proposta, segundo a idealizadora da roda de conversa, a assistente social de carreira da Seaf, Cenira Evangelista, foi socializar saberes e implementar a troca de experiências, além de abrir oportunidade para trazer o assunto à tona ao público masculino da pasta.

 

Durante o encontro presencial, houve a exposição do documentário ‘o silêncio dos homens’, cujo da obra é provocar reflexão sobre o modelo de masculino que se impõe sobre meninos e homens e como isso acaba por silenciá-los ao longo da vida

 

Novembro Azul

 

A Campanha Novembro Azul, responsável pela conscientização do câncer de próstata, doença acometida aos homens, surgiu no ano de 1999 na Austrália, com um grupo de amigos que decidiram deixar o bigode crescer, a fim de chamar atenção para a saúde masculina. No Brasil, essa campanha foi trazida pelo Instituto Lado a Lado Pela Vida em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia. A cada ano o movimento de conscientização ganha mais adeptos e o preconceito com o exame de toque, que sempre foi alvo de aversão pelo sexo masculino, diminui.

 

O câncer de próstata é assintomático no início, ou seja, não apresenta nenhum sintoma, o que torna a prevenção muito importante. Vale lembrar que o exame de sangue não substitui o de toque, que é simples e rápido. É indispensável que os dois sejam realizados, principalmente em homens que já passaram dos 45 (quarenta e cinco) anos de idade.